domingo, 3 de abril de 2016

cabelos bem cuidados

Por muitos anos, a NAA foi a técnica favorita para a determinação
de elementos traço no cabelo. Esta técnica normalmente
requer a mínima preparação da amostra (lavagem, secagem
e encapsulamento) e permite a determinação simultânea
de vários elementos, sendo mais isenta à contaminação. Entretanto,
o espectro para alguns nuclídeos somente pode ser obtido
após algumas horas, ou dias, de irradiação da amostra40.
Isto diminui a velocidade analítica, não sendo muito adequada
para análises de rotina60. Uma outra desvantagem é a sensibilidade
inadequada para alguns elementos13. cabelo liso

cuidar do cabelo
cabelo liso
tratamento para o cabelo
creme para cabelo
A digestão seguida da determinação multielementar por ICPAES
ou ICP-MS é a rota mais comum e mais rápida de se
obter a máxima informação a respeito de uma amostra41. A
técnica ICP-AES permite a determinação de elementos tais
como Cu, Fe, Ca, Mg, Zn e etc, enquanto que a técnica de
ICP-MS é mais adequada para a determinação de elementos
em baixas concentrações (V, Cr, Tl, Pb, etc).

Na Tabela 7 são mostrados os LDs de vários elementos
presentes no cabelo 30,32,38,47,59,61, com as respectivas técnicas
de medida. O LD é definido por 3s/m, onde s é desvio padrão
de 10 leituras consecutivas do branco e m é a declividade da
curva analítica (obtida por adição de analito ou calibração
externa)47. O limite de quantificação (LQ) é obtido sob as
mesmas condições de obtenção do LD, porém é levado em
conta a massa da amostra utilizada para a análise, sua diluição
e presença de interferentes que podem aumentar o sinal do
branco e/ou diminuir o sinal do analito, Os LDs e LQs de
uma técnica podem variar, dependendo do método de
introdução da amostra (nebulização pneumática ou ultrassônica,
injeção em fluxo - FIA-, vaporização eletrotérmica -
ETV, etc.), separação da matriz/pré-concentração do analito,
tipo de instrumento, limpeza da vidraria e pureza dos reagentes
utilizados.

Conclui-se que há discrepância entre resultados obtidos na
análise da mesma amostra de cabelo, bem como as faixas de
concentrações consideradas normais para uma mesma população.
Isto ocorre, principalmente, porque métodos padrões de
coleta, lavagem e preparo da amostra não são sempre seguidos,
tampouco otimizados. Grande parte do problema, possivelmente,
poderia ser resolvido através de programas interlaboratoriais
e de controle de qualidade, além de levantamento de dados em
relação às características da população atendida. Assim, por
exemplo, a concentração de determinado elemento considerada
normal no cabelo de uma determinada população, pode não ser
normal para outra. Além disso, os profissionais das diferentes
áreas envolvidas precisam interagir entre si para a troca de
informações úteis, o que pode levar a uma melhoria da qualidade
da análise de cabelo.
Entretanto a análise de cabelo é bem aceita em toxicologia,
poluição ambiental e criminalística, provavelmente porque neste
caso as contaminações endógena e exógena são mais facilmente
distinguidas. Além disso, a presença de drogas no cabelo
(derivados do ópio e cocaína) dificilmente poderá ser confundida
com contaminação exógena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário